quinta-feira, 13 de novembro de 2008

O estafe de Rosinha.

Será anunciado na primeira quinzena de dezembro os secretários que vão compor o governo Rosinha Garotinho. Já como absolutamente certos alguns nomes que não se pode considerar, avaliados como competentes, corretos e muito menos o melhor para o governo e para a cidade, mas na política, nem sempre esses são os critérios. Os compromissos políticos, a fidelidade, a lealdade e principalmente a subserviência às vezes contam muito mais pontos. E vamos em frente...

A nova ponte municipal.

Quem usa a nova ponte vindo de Guarus ao subir a rampa exageradamente íngreme percebe nitidamente que a ponte é nitidamente inclinada para o lado esquerdo. Será que é assim mesmo ou foi um erro? Seria isso nova técnica de engenharia? Teria alguma justificativa ou explicação? Também é uma novidade da engenharia a rampa de descida e subida em ambos os lados? Confesso minha ignorância em construção civil. Se algum leitor souber informar, por favor, faço contato, agradecemos.

A novela dos terceirizados.

Rosinha Garotinho, Roberto Henriques, o jornal O Diário e outros aliados, com relação aos terceirizados não tem que arrumar nada para ninguém, sem essa de jeitinho, a prefeita eleita tem que arrumar a casa como um todo, acabar com os privilégios, governar para todos, enfim fazer um governo diferente desse que esta ai. Qualquer iniciativa contrária estará arrumando a vida dos terceirizados e prejudicando a todos aqueles que confiaram e votaram nela.
A cidade como um todo é muito maior que qualquer grupo de terceirizados. Os problemas institucionais, legais e administrativos são muito maiores do que qualquer um possa imaginar. Portanto, esse problema dos terceirizados já existia, não foi criado por ela, todos admitidos sabiam do problema, ninguém esta ali inocente e/ou ludibriado.
Qualquer atitude diferente da legalidade, a margem da Lei, vai de encontro a tudo que foi dito e propalado, os demais cidadãos comuns vão se sentir ludibriados.
O tiro na praça São Salvador, a arma apreendida e a pequena quantidade de terceirizados nas manifestações da mostra de que o movimento esta atendendo a interesses escusos, durante a campanha foi dito e provado que muitos dos interessados tem familiares empregados na Prefeitura e que o número de fantasmas e grande, portanto qualquer mudança de rumo nesse momento seria um estelionato eleitoral.