domingo, 6 de fevereiro de 2011

Deputado, Prefeita e Deputada

Depois de ficar na linha de fogo... e vários dias ausentes em entrevistas e declarações...

Sábado no programa da rádio O Diário a família Garotinho apareceu.

Primeiro apareceu a primeira filha, a deputada estadual Clarissa. Foi de uma elegância impar. Tudo combinado, futucada pelo apresentador, disse que não tem nada contra Roberto Henriques e que não entende o porque das colocações dele e que não responderá as provocações... e que esta tudo certo... tudo bem... Ela se superou... (quem a conhece, dizem que ela não é assim). Deve ter tomado muito água para engolir todos os sapos dos últimos dias.

Depois de muito teatro por parte dos apresentadores, dizendo que o casal Garotinho estava em programa de fim de semana familiar, foi a vez de o casal aparecer, não convenceu e nem se esforçaram para convencer ninguém.

Rosinha fez o seu papel, apologia ao seu governo, casas maravilhosas, obras em pleno andamento, o município esta um verdadeiro ¨brinco¨, nos ¨trinques¨, nem parecia que ela estava falando de Campos. Como sempre, em sua peculiar arrogância trazida dos tempos em que era preterida pela classe dominante local e ora falida. Levantou o chicote e ameaçou seus asseclas, ¨aspones¨ e subordinados (secretários e empreiteiros).

Deixou nas entrelinhas, ameaças de que esta fazendo levantamento sobre obras do período Nelson Nahim (o cunhado... a quem não perdoa).

Enfim chegou a vez do ¨grande chefe¨. Nem parecia Garotinho... tranqüilo... estava em êxtase. Começou dizendo que ele não foi afrontado pelos oito deputados estaduais que não obedeceram a sua determinação de não votarem no deputado Paulo Melo para presidente da ALERJ. Disse que os deputados desrespeitaram foi o partido a quem terão que prestar conta.

Garotinho não omitiu a reunião que teve com os deputados para determinar sua decisão. Falou que Roberto Henrique estava presente e deixou claro que Roberto partiu para o confronto dizendo que Garotinho o tinha prejudicado na campanha. Garotinho minimizou o encontro a seu favor. Quem presenciou viu que o embate entre Garotinho e Roberto foi grave (não podia ser de outra forma).

A entrevista foi tranqüila, nem parecia Garotinho... disse que não será ele que cobrará nada, mas sim o partido.

Somente uma coisa ficou clara, bem clara...

Garotinho nesse momento sabe e tem certeza de que não controla o partido PR estadual e muito menos nacional, Garotinho já sentiu que todos (mas todos mesmo) estão do outro lado (o lado do governador Cabral seu inimigo ou ex amigo como queiram). Garotinho esta se fazendo de morto... tudo na tentativa de reverter o quadro...

Não se espantem se nada acontecer aos deputados rebelados...

Mas... Garotinho é Garotinho e como tal, não pode ser subestimado... o recuo é tão somente uma estratégia, uma falta de alternativa, o dia que puder, voltará com tudo.