quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

A noiva cortejada...

Nessa disputa presidencial de 2010 entre os partidos tem uma noiva que vai ser muito cortejada e todos vão querer levá-la ao altar, mas o seu dote é muito alto e essa noiva sabre cobrar a conta, sabe se valorizar. Essa noiva é o PMDB que mais uma vez não deve lançar candidato próprio, quando muito a vice, mas isso se a situação for muito confortável para ganhar. O PMDB não é um partido de se arriscar, e a última vez que se arriscou foi com o dr. Wlisses Guimarães que chegou em quarto lugar, com um desempenho pífio. O PMDB não quer o cargo de presidente da república, eles querem continuar no poder, seja quem ganhar e conseguem isso porque é o partido mais organizado e maior da América Latina, tem diretório em mais de cinco mil municípios do Brasil. Esse é o cacife que o credencia a hoje ter no governo do PT seis ministérios e conseguir apoio para eleger o presidente da Câmara e do Senado até mesmo em detrimento de candidaturas do PT como foi agora a derrota de Tião Viana, senador petista do Acre que se candidatou. Portanto O PMDB será a grande e cobiçada noiva dessa próxima temporada.

Ainda a sucessão presidencial.

Por outro lado o PSDB esta trazendo como candidato o governador José Serra. Serra já saiu candidato e perdeu para presidente, mas a situação do partido dos tucanos não é nada confortável, tem muitas arrestas a serem aparadas. O partido conseguiu selar um acordo com Geraldo Alckmin que também saiu candidato e perdeu para Luiz Inácio e agora Alckmin apóia Serra. Dentro do próprio a situação não é fácil, porque quem comanda o PSDB ainda que à distância, é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que tem voz ativa e forte. Os problemas do PSDB não terminam ai, um outro problemão é o governador mineiro Aércio Neves que gostaria de sair candidato pelo partido, mas tem um bom transito no governo petista de Lula e tem sido constantemente assediado pelo PMDB. Aércio que é de família tradicional mineira (neto do falecido Tancredo Neves), tem contra si, a dificuldade de não ser conhecido nacionalmente, o que consiste em uma grande barreira. Por outro lado o PSDB tem pensado em fazer de vice uma mulher para contrapor o discurso do PT com a Dilma, como todos podem ver, obstáculos não falta, o PSDB hoje é só problema.

A sucessão presidencial já esta na rua.

Lula que tem uma avaliação de seu governo num dos maiores índices da história, só tem a comemorar e esta impondo a candidatura da ministra Dilma Rousseff. A ministra é gaúcha e com isso o berço petista que é em São Paulo esta meio enciumado uma vez que não conseguiu um consenso em fazer candidata a petista Martha Suplicy. A situação é bem confusa. Uma coisa é certa, transferir voto não é uma coisa matemática, nem todos e nem sempre se consegue. Todos são unânimes em reconhecer que a ministra é um tanto quanto pesada, já tentaram aliviar, com retirada dos óculos, plástica, tratamento de beleza e outras coisas mais. Mas Luiz Inácio que é quem esta no poder, faz valer a máxima: Manda quem pode, obedece quem tem juízo...