quinta-feira, 5 de março de 2009

Homenagem a Osório Peixoto.

Osório Peixoto deverá ser homenageado com o nome no novo centro de eventos que será construído pela Prefeitura de Campos, ele que era escritor e poeta tem um histórico de vida ligado a cultura e a homenagem é para lá de justa e merecida.

Cada um no seu quadrado.

A excomunhão promovida por um bispo da Igreja Católica Apostólica Romana em relação a uma menor pernambucana de 9 anos de idade abusada pelo padrasto, ficou grávida abortou devidamente autorizada, a excomunhão decretada tão somente ao médico e parentes da menor, é no mínimo uma falta de bom senso, ficou faltando os demais como: médico anestesista, enfermeiros, chefe da escrivaninha cartorária e o Juiz que autorizou e todo os outros que participaram direta ou indiretamente do longo processo judicial. Bem, o bispo também esqueceu de excomungar o padrasto da menina, esse ele nem citou. Vejam bem, Igreja é igreja. Cada um no seu quadrado... Presta atenção... Vai procurar o que fazer... Cada um sabe onde o sapato lhe aperta... Quem sabe o calor do fogo é a panela... e por ai vai...

Eleição na Fundação.

Ontem o médico dr. Jair Araújo Junior venceu a eleição na Fundação Benedito Pereira Nunes, qual é a importância dessa Fundação? Ela é a mantenedora da Faculdade de Medicina de Campos e do Hospital Álvaro Alvim (dois dos maiores patrimônios dessa cidade). A vitória do dr. Jair representa uma derrota para as forças políticas do município que esta no poder ou seja a prefeita Rosinha Garotinho, o Secretário de Saúde dr. Paulo Hirano, o dr. Nelson Nahim presidente da Câmra Municipal, bem como o vice prefeito dr. Chicão que é médico, todos apoiavam para a presidência da Fundação o empresário e engenheiro dr. Marcelo Gazineu (talvez o erro tenha sido não ter trazido um médico, pessoalmente sem restrição ao nome do dr. Gazineu). O que não podemos esquecer é que os eleitores que democraticamente reconduziram o eleito dr. Jair se esqueceram que o mesmo participou e foi manchete na mídia de um lamentável episódio no desgoverno corrupto do prefeito médico Alexandre Mocaiber que o apoio. No imbróglio que o dr. Jair envolveu a Fundação Benedito Pereira Nunes, teve a participação do Judiciário e se não me falha a memória o dr. Jair teve que desistir de uma licitação denunciada como viciada, envolvendo o Programa de Saúde da Família, assunto mal resolvido, que ficou cheio de dúvidas e nenhuma explicação convincente. O que se pode constatar é que o corporativismo da classe médica é grande, muito maior do que se possa imaginar.