segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Coisa estranha...

José Ornis Rosa foi Controlador Geral do Município de Campos dos Goitacazes nos 43 dias de Roberto Henriques a frente da Prefeitura de Campos, até então que conste nunca tinha participado de governo nenhum com cargo de confiança pelo menos. Alexandre Mocaiber ao reassumir, tendo tido seu secretário de Obras envolvido no escândalo Telhado de Vidro nomeou e ainda esta no cargo o filho de José Hornis o engenheiro Hornis França Gomes Rosa na condição de Secretário de Obras e Urbanismo do Município. Definitivamente não da para entender como se pode servir a dois deuses. Deve ser coisa de político e da política.
Bem diz o ditado: Filho só puxa o pai, quando o pai é cego...

Três mulheres, três destinos...








Jane Nunes, Elizabeth Landim, Maria José Porto são algumas das mulheres que estiveram no governo de Arnaldo Vianna e sobreviveram ao governo de Mocaiber. Jane Nunes veio do governo de Garotinho, mas rompeu com ele depois que Arnaldo Vianna assumiu e ele publicamente a chamou de detratora, na época ela ficou muito abalada, chorou em público, mas com o tempo tudo passa, mas certamente Garotinho não esqueceu. Elizabeth Landim surgiu no fim do governo de Arnaldo e se firmou no governo de Carlos Alberto e assumiu o lugar que Beth Campista ocupava com o de primeira dama, Landim teve seu currículo maculado com a acusação de aquisição superfaturada de um soft para a secretaria de Educação. Maria José Porto que chegou a Campos dirigindo o presídio Carlos Tinoco, depois foi para o governo Municipal e passou por vários Conselhos e gerências, inclusive no governo Roberto Henriques teve papel importante, foi prestigiada e não tem seu nome envolvido em nenhum dos escândalos do governo Alexandre Mocaiber. Só o tempo dirá o destino dessas mulheres.

Semana dos negros bem sucedidos.

A semana começa com uma coisa um tanto quanto inusitada no Brasil e no mundo. Um único dia separa a participação de dois mestiços (mulatos) que roubam a cena nacional e internacional. No domingo um negro inglês Lewis Hamilton ganhou o grande prédio da Formula 1, um súdito da rainha da Inglaterra, quem diria a monarquia inglesa ser representada mundialmente num esporte de ponta por um negro, algo inadmissível alguns anos atrás. Ainda esta semana (amanhã terça-feira) os Estado Unidos, ainda a maior potencia mundial, deve eleger também um negro e o que é pior ainda para os americanos, o negro leva um nome árabe ele é o senador Barack Obama, que certamente chegará a presidência da República americana. Lá como cá o racismo é tolerado e tolerante, só que lá existem realmente arianos e aqui a maioria esmagadora é de mestiços.