terça-feira, 16 de dezembro de 2008

TJRJ tem novo presidente.




Foi eleito nesta tarde o novo presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro o desembargador Luiz Zveiter, (clique aqui para ler a fonte) ele é filho do ministro Waldemar Zveiter e irmão do ex-secretario de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Sergio Zveiter, já foi presidente do Superior Tribunal Desportivo de onde teve que desincompatibilizar da função de desembargador. A família é formada de juristas e o ministro patriarca Waldemar tem laços estreitos em Campos dos Goitacazes, foi advogado do saudoso fazendeiro José Paes em questões rurais quando ainda advogada e antes de ser desembargador de Estado. Outro que é amigo de Waldemar e agora do presidente Luiz é o advogado campista Meri Fernandes. Outro amigo da família Zveiter e agora subordinado hierarquicamente é o juiz campista Carlos Araújo que certamente agora terá as portas do gabinete do presidente abertas mais ainda. O escritório da família Zveiter representa parte do espólio do sr. Aroldo Neves na disputa do Hospital Dr. Beda e é um dos mais respeitados do centro do Rio de Janeiro, mais precisamente no Castelo e tem como cliente as maiores empresas do país.

O Judiciário é uma caixa preta.

O Conselho Nacional de Justiça abriu processo disciplina contra o desembargador presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo e outros desembargadores, mas o fato só se deu depois da polícia Federal ter recorrido a Justiça Federal para procedimento da prisão dos citados. O fato não e novo, todos que militam na Justiça sabem que a corrupção no Judiciário não é nada diferente da dos demais poderes da República, somente não se tem como provar porque dentre os 3 Poderes, o Judiciário é o único que exige nível superior aos componentes de seu primeiro escalão e são admitidos por concurso e regras políticas. Com tudo isso, o judiciário (leia-se Juízes, Desembargadores e Ministros) se sentem superiores e sempre se acharam acima do bem e do mal e se quer obedecem as determinações legais. É hora de ser feita uma varredura em todos os Tribunais do país de alto a baixo. A mídia não tem muito tempo denunciou o escândalo dos Cartórios onde a mulher de um desembargador presidente do TJRJ era a proprietária e até a presente data não se tem uma resposta. Devemos reconhecer que já foi muito pior, nunca se imaginou que seria possível prisão e muito menos processo de Ministros, Desembargadores e Juízes, também nunca se imaginou a criação do Conselho Nacional para controlar o Judicicário, mas ainda estamos muito longe do ideal.

Chegou a hora da diplomação dos eleitos.

Diplomação 1

Amanhã acontece em Campos o último ato da Justiça Eleitoral com relação a eleição de 2008, a diplomação dos eleitos é tecnicamente o último ato, depois desse só a transmissão do cargo ou seja a posse. Aqui em Campos a solenidade será amanhã as 17h no Teatro Trianon e forma distribuídos 800 convites que devem ser confirmados, vão ser diplomados a prefeita, o vice, os 17 vereadores e 2 suplentes de cada partido com assento na Câmara Municipal. Observação: O traje da solenidade é passeio completo ou seja terno (paletó com gravata).

Diplomação 2

Ilsan Santos Vianna não será diplomada, não há mais tempo, o processo que impede seu registro tomou outro rumo ainda mais problemático, tudo, para alegria de Ederval Venâncio o seu suplente e com quem havia pactuado sair da Câmara Municipal para um Secretaria Municipal abrindo vaga para Ederval. Mas esqueceram de combinar que Arnaldo Vianna teria que ganhar a eleição, com isso Ilsan fica no prejuízo e pelo menos agora não será diplomada, futuro? Só o tempo dirá.

Diplomação 3

A prefeita Rosinha Garotinho vai para a diplomação com maioria absoluta, a mesa da Câmara Municipal já esta praticamente fechada, uma surpresa não é esperada, com mais 14 dias estará a assumindo o pior legado que um político pode deixar para o outro, uma cidade arrasada pelo prefeito eleito Alexandre Mocaiber e seus asseclas, problemas infra-estatuais e também com a natureza. Teremos dias difíceis.