quinta-feira, 16 de abril de 2009

A crise 2.

A crise é grave, quem sabe gravíssima. A cidade de Campos não merece. A alto estima da população esta em baixa. Em especial o desgoverno de Mocaiber, desestruturou a cidade em todos os seus aspectos, há necessidade de recosntruir Campos como um todo. Os políticos, em especial os que foram derrotados, tem que admitir sua derrota e se não querem ajudar, favor não atrapalhar.

Ainda sobre o Legislativo local.

Também não podemos esquecer que: ¨Pau que bate em Chico, bate em Francisco...¨. Portanto: ¨Quem tem telhado de vidro... que não ande com pedra no bolso...¨.

Vereador Marcos Barcelar.

É prudente que o vereador que já foi presidente da Câmara reflita e reveja seu posicionamento, talvez quando queiser recuar, já seja tarde, é prudente que use a razão, bem como a estatégia, uma devassa da vida política, fiscal e econômida de um homem público, sempre se sabe como começa, mas nunca se sabe como termina.

Câmara dos Vereadores.

A briga pessoal dentro do legislativo é um desserviço prestado a cidade de Campos, o vereador Marcos Barcelar deve resgatar o espírito público e usa-lo para o bem da cidade e dos munícipes.

Fim de campanha.

A campanha eleitoral ja terminou, todos os eleitos já foram diplomados é hora dos eleitos trabalharem para o bem da municipalidade, mesmo aqueles que já tiveram oportunidade e não fizeram.

A crise.

A crise é muito grave dentro do município.