terça-feira, 13 de janeiro de 2009

O Poder Judiciário.

O Poder Judiciário esta a dever uma satisfação a população campista, em especial aquela menos aquinhoada de recursos e poder. Inúmeros são os procedimentos (inquéritos e processos) iniciados contra a administração e administradores do governo que terminou (exemplo mais claro é o processo da venda do prédio do supermercado Roncetti) e que não tiveram uma providência. Concordo que todo Poder tenha que ser respeitado. Mas é cultura do Brasil (não só de Campos) se poupar, se ter medo do Poder Judiciário, ele foi feito para nos defender, defender nossos interesses. Assim como criticamos o Executivo e o Legislativo, temos o dever de criticar e cobrar ao Poder Judiciário. Portanto que se encaminhem todos as denunciar e crimes cometidos pela administração anterior e em seguida vamos cobrar. Vamos exercer nossa democracia. Não podemos permitir que o Poder Judiciário se sinta acima do bem e do mal, porque efetivamente ele não esta.

Favor não confundir.

Não sou adepto de se ficar batendo numa mesma tecla durante todo o tempo ou por muito tempo. O que passou, passou! Não adianta ficar chorando pelo leite derramado. O município de Campos esta em estado de calamidade administrativa, mas acho que nem por isso precisa se ficar alardeando fatos que todos já sabemos. Mas... Muito cuidado... Não podemos confundir as coisas. Uma coisa é não se ser revanchista, outra muito diferente é a impunidade. Portanto entendo que tudo que for encontrado de irregularidade (e não são poucas) no desgoverno do ex-prefeito Alexandre Mocaiber deve ser encaminhado ao Poder Judiciário que neste momento é o órgão competente para tomar as providências. Tudo tem que ser tornado público, muito bem divulgado e encaminhado ao setor competente.

O município de Campos.

A crise é grave. É grave a crise. Muito grave!