segunda-feira, 13 de junho de 2011

Leia com atenção

http://www.blogdogarotinho.com.br/

Por que tanto ódio?



Um poderoso desembargador anda dizendo pelos corredores do Tribunal de Justiça do Rio que vai fazer de tudo para perturbar a minha vida, se for possível, até tirar o meu mandato. O ilustre que atende pelas iniciais LZ devia ser mais comedido em suas palavras. Até por que o tribunal é um lugar para se fazer justiça e não perseguição.

http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=9061

segunda-feira, 14 de junho de 2010 | 19:12

Luiz Zveiter-Garotinho

Tiveram duro atrito. O ex-governador acusou PESSOALMENTE o presidente do Tribunal de Justiça, pelo veto à sua candidatura. Textual: “Você se aliou ao governador Sergio Cabral para obter a decisão de 4 a 3 impedindo a minha candidatura”.

Zveiter respondeu com veemência, quase passando do limite, as pessoas ficaram apreensivas. Daí Garotinho disse a Zveiter: “Você é um ingrato, eu agi para evitar o escândalo, quando tua filha foi aprovada em primeiro lugar no concurso para juiz. Concurso que depois foi fartamente contestado”.

Garotinho está com recurso no TSE, mas vai também recorrer ao pleno do TRE. E garante que, “se perder, desisto da candidatura, não quero concorrer sub-judice”.

***

PS – Garotinho deixou entrever ameaças físicas a Zveiter: “Se eu perder no pleno do TRE, vou atribuir isso à tua influência, e não esquecerei”.

PS2 – O ex-governador está com a razão, nada se faz ou se acredita no Tribunal, sem que passe por Zveiter. Foi o grande informante do “Globo” na campanha contra o ex-amigo, desembargador Wider.

PS3 – Luiz Zveiter ainda não sabe, mas está na linha de tiro do Conselho Nacional de Justiça. A acusação (denúncia) está sendo considerada. A posição de Zveiter é indefensável. Poderá perder a presidência e ter que se aposentar.

PS4 – Iria “por água abaixo”, a bravata que tanto apregoa, de se transferir para o STJ ou STF.

Vocês ainda tem dúvida que o L é de Luiz e o Z é de Zweiter, o desembargador é inimigo de Garotinho que o desfeiteou em público quando ainda era presidente do TJRJ, Garotinho disse que abafou o caso rumoroso do concurso em que o desembargador aprovou sua filha para Juíza, fraudulentamente (acusação grave).

O desembargador não é nenhum santo, basta abrir a página do Goolge onde consta um longo e constrangedor curriculum.

Garotinho também não nenhum santo e saber muito bem o porque de tanto ódio.

É uma briga de Titans um representante do legislativo federal e um representante máximo do poder Judiciário Estadual Eleitoral.

Seria importante que ambos contassem o que sabe de cada um para os representantes dos Ministérios Públicos Federal e Estadual respectivamente.

Vamos aguardar para ver, como diz o velho ditado: ¨... quem tem garrafa vazia para vender...¨