terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Os diques.

Muito criteriosa a nota na coluna Ponto Final do jornal Folha da Manhã (clique aqui e leia). Também concordo, o produtor rural tem que ser respeitado e também temos que tomar muito cuidado com os adjetivos que qualificamos as pessoas, principalmente aquelas que empregam, aqueles que pagam impostos, aqueles que são empresários e empreendedores, aqueles que tem ficha limpa e que tem endereço certo e sabido. Se alguém esta errado e continua errado é porque alguém não fiscalizou, não buscou seus direitos. Fica a pergunta que não quer calar: Ao rebentar os diques, as novas áreas alagadas não são produtivas? Não moram seres humanos por lá? Não estaria descobrindo um santo para cobrir outro? Os que estão tendo seus diques arrebentados também não estão sendo prejudicados? O Poder Público não seria o maior responsável? A natureza só esta fazendo a parte dela.

Prisão de Mociaber.

1. Esta no blog de Garotinho: ¨Tem gente em Campos apostando que o prefeito Alexandre Mocaiber não leva 100 dias para ser preso, assim que deixar a prefeitura.¨ (clique aqui e leia). Até onde se tem conhecimento o prefeito Alexandre Mocaiber deveria ser preso assim que for dada a posse a prefeita eleita Rosinha Garotinho, porque o mandado de prisão expedido pela Justiça Federal na operação ¨Telhado de Vidro¨ foi tão somente recolhido por impossibilidade de cumprimento em face da alegada imunidade, mas entendo que ele já deveria ter sido preso em flagrante delito pelas várias ilegalidade que vem cometendo.
2. Essa estória de ¨Choque de Ordem¨ com a intenção de trazer o ¨Controle da ordem pública¨, discurso feito por Delegado, Ministério Público e outros, esta parecendo conversa fiada porque se quisessem assumir o controle do município ou trazê-lo a ordem, bastava que o judiciário com a polícia tivesse prendido o prefeito Alexandre Mocaiber o grande responsável pelo desgoverno em que vive o município, só para citar 3 exemplos: A corrupção que mantém seus colaboradores presos, o processo de venda do super mercado Roncetti e por fim, quando sumiu, desapareceu deixando a população a deriva e nem se quer compareceu a reunião no Corpo de Bombeiro. Motivo bastante para levá-lo e mantê-lo preso.
3. Prender Mocaiber é uma questão de honra para com os poderes constituídos, se nada acontecer com ele, vai ficar mal para todos que o acobertaram, vão ficar todos mal, muito mal, o Judiciário especialmente vai ficar desacreditado e desmoralizado.

É Natal?

Ainda que alguns insistam, o espírito natalino não tomou conta da cidade de Campos. Os veículos de comunicação se esforçam e tentar passar a imagem de que tudo esta bem, mas não é essa a realidade. O comercio vem fazendo das tripas, coração. Não tem nada bem, nem poderia e para completar, esta última operação conjunta da Justiça e das Polícias inexplicavelmente as vésperas dos dias natalinos, colaborou e muito para baixar mais ainda o alto estima do campista. Não estou contra a operação, só acho que chegou tarde, deveria já ter acontecido e também deu uma demonstração de que foi mais um espetáculo do que eficiência, em 200 mandados variados você só conseguir localizar e prender 9 pessoas é um percentual muito pequeno. Mais efeito teve a operação ¨Telhado de Vidro¨ que tinha menos mandado e prendeu mais de 20 pessoas e só não levou o prefeito Alexandre Mocaiber, porque este acionou seus advogados e alegaram foro privilegiado. Portanto, esta operação ¨Choque de Ordem¨ lamentavelmente pode ser considerada um fiasco, ao que tudo indica, chegou tarde.

A enchente em Cardoso Moreira.

O prefeito eleito de Cardoso Moreira, Gilson Nunes Siqueira, foi o único político da cidade que no dia 18 compareceu a diplomação no foro em Italva e para tanto, teve que atravessar área alagada, pegar um trator, para conseguir pegar a um trem que o levou correndo risco de morte até Italva para ser diplomado, os vereadores não compareceram, foram diplomados e pega o diploma depois, a cidade esta sobre o estado de Calamidade Pública.

Nilo Peçanha.

A estatua de Nilo Peçanha localizada no inicio da avenida do mesmo nome, foi retirado o tapume e pasmem, enlanguesceram tão somente a base e em redor colocaram tão somente algumas placas verticais de mármore (tipo andorinha) uma nítida obra de maquiagem, para nos fazer de tolos. Onde anda o secretário de obras do município (é tudo em minúsculo mesmo, de propósito, é o que ele merece), que deve satisfação de mais uma obra imoral e desnecessária com o objetivo de sugar dinheiro dos cofres públicos. A pesar de parte da família do secretário ter sido Garotinho, de seu pai ter servido nos 43 dias ao governo Roberto Henriques, o casal Garotinho com justa razão não o manteve no cargo como chegou a ser desejo de alguns. A passagem do atual secretário de obras pela secretaria manchou seu jovem currículo e comprometeu sua reputação, aliais qualquer um que passou por este desgoverno de Alexandre Mocaiber, quer queira quer não, ficou maculado e agora tem que pagar o preço pelo menos das críticas.