quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Para minimizar...


Depois de tanta coisa... para lembrarmos que existe sol... para não dizerem que não falei de flores... essa foto é de Jayme Siqueira.

Reforma ortográfica.

Sei que o ¨trema¨ deixou de existir desde o primeiro dia do ano de 2009, mas essa como outras modificações que ainda não tomei conhecimento, não foram alteradas nos computadores (especificamente no meu) e consequentemente entra automaticamente e passa por mim despercebido, NÃO ESTOU ME JUSTIFICANDO, MAS SIM EXPLICANDO.

A economia como um todo.

É prudente que todos se preparem, temos uma crise econômica internacional, com as enchentes na região e também no sul, as chuvas na região de hortifrutigranjeiro como São Paulo que nos abastecem por aqui, as fortes chuvas nas Minas Gerais de onde vem a nossa maior parte de produtos derivados do laticínio, com a necessidade de venda de gado a qualquer preço para não perder animais com as cheias de nossa região, a economia nacional vai sofrer, a agricultura passará por momentos difíceis e consequentemente nós também. É momento de todos nos preocuparmos, teremos dias sofridos e difíceis pela frente. Certamente todos serão atingidos indistintamente, queiramos ou não.

Pobre rica Campos dos Goitacazes.

Parece que não ficou pedra sobre pedra. É lamentável o estado em que o município se encontra. É incomensurável o tamanho da irresponsabilidade do desgoverno do ex-prefeito Alexandre Mocaiber, as irresponsabilidade são motivos para prisão. Hoje o município amanhece sem o único meio de publicação dos atos municipais da Prefeita que era o site da PMCG onde estavam sendo publicados os atos administrativos. A pagina foi retirada do ar na internete por falta de pagamento ao provedor Via Cabo (que não tem nada a ver com o assunto), o governo deixou de publicar no órgão oficial que era o Monitor Campista, também por falta de pagamento. Entendo que a situação do município (sem luz, internete, moveis, utensílios, computadores e até o básico como material de escritório) é de calamidade pública também administrativa. Sem querer ensinar ¨Pai Nosso a vigário¨, eu, no lugar da Prefeita baixaria decreto e suspenderia as atividades da máquina administrativa por determinado período até que pudesse tomar pé da situação. Mas alcance os senhores, nem mesmo lugar para publica esse decreto ela tem. O novo governo esta administrando o caos. Mas todos nos sabíamos, só não imaginávamos o tamanho do absurdo.

A enchente na região.

A situação pior das cheias é na cidade de Cardoso Moreira, chega a ser maior do que em Itaperuna. O prefeito anterior já tinha declarado estado de Calamidade Pública e agora com o novo volume de águas, a coisa piorou. A sede e várias secretarias da Prefeitura ficaram debaixo de água, tudo foi perdido.

A situação especifica do distrito de Grussaí do município de São João da Barra não é muito diferente, a praia esta alagada e com isso o lençol freático subiu e como não há sistema de coleta de esgoto, as fossas sobem também e a situação fica insustentável.

A estrada quem vai rumo a Itaperuna, não se consegue chegar nem a Cardoso Moreira e muito menos a Italva, para se alcançar as localidade tem que conhecer a região e ir fazendo os mais variados desvios por estradas em péssimo estados (algumas ainda de chão).

A estrada que vai para São João da Barra é uma verdadeira corrida de obstáculos, virou um verdadeiro queijo suisso, tem buraco para todo lado, os motoristas tem que trafegar escolhendo onde vai passar e em alguns lugares, com a cheia do rio Paraíba do Sul, a infiltração de água chega pista.

E a expectativa é de que a s chuvas continuem, não temos a quem cobrar a conta, estamos colhendo o que plantamos na natureza.