segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Esperança é a última que morre...

A entrevista da prefeita eleita Rosinha Garotinho publicada no jornal Monitor Campista de domingo (clique aqui) causou perplexidade e apreensão a população. Em meio ao caos que a cidade vive não se espera que uma das primeiras medidas da prefeita eleita seja a criação de uma representação de Campos na Capital. A dra. Rosely Pessanha é muito competente para o cargo, advogada brilhante, esposa de desembargador, mas não é momento, a cidade precisa de providências outras em regime de urgentes. O fim das gerências era o mínimo que se podia esperar, mas a criação de coordenações é trocar seis por meia dúzia, parece que a prefeita eleita resolveu enxuga gelo. Só falta ela agora insistir em manter os terceirizados e não promover concurso público e nem chamar os aprovados em concursos e que estão em fila de espera. Circula nos bastidores que o Secretário de fazendo nasceu em Campos e vive fora daqui há muito tempo, só falta agora o Procurador Geral ser mineiro. Se a coisa for por esse caminho não mudamos nada, ficamos na mesma. Que Deus nos proteja.

Nenhum comentário: