quinta-feira, 19 de março de 2009

MST

MST 1

A invasão de órgão público e uma pratica nociva implementada pelo MST e acobertada pelo PT de Luiz Inácio que ao entrar para a presidência da republica não teve autoridade e depois autoridade moral para frear os baderneiros de plantão. Outro grande responsável por essa (des)organização e a Justiça que não sei respaldada em que e em quem não faz cumprir a ordem e o respeito a Constituição do pais. Esses baderneiros do MST e afins não são nenhum seguimento organizado, organizados eles seriam se tivessem existindo mediante ata de eleição e estatuto devidamente registrado em cartório, junto com CNPJ, somente assim podem ser reconhecidos como legais. Somente aqui no Brasil e que um bando de baderneiros se agrupam pelo pais afora e são recebidos como se fossem legalizados, se impõem, invadem, e o pior de tudo e que são recebidos por autoridades no dia e hora que eles querem e entendem, sem se quer se darem ao trabalho de marcar uma agenda ou pauta.

MST 2

A invasão por parte desses baderneiros meliantes do MST na manhã de ontem, tirou de suas respectivas funções cinco secretários do município que suspenderam seus compromissos e agenda para atender a uma (des)organização que se quer existe formalmente. Temerosos de um desgaste, autoridades passam a lhes dar razão e desta forma eles vão tocando a vida. E o poder publico se tornando refém de um bando de marginais que ao chegar intimidam guardas, ameaçam pessoas e constrange autoridades, pelo menos foi o que se viu na Prefeitura.

MST 3

O governo de Luiz Inácio na condição de Executivo e o poder Judiciário que e o grande omisso neste assunto, juntos já passaram da hora de colocar ordem na casa. Com raríssimas e honrosas exceções, esses baderneiros são desonestos, porque não são poucos os assentados que receberam dinheiros e suas terras e em seguida as vende por qualquer preço. Como são ilegais, nada tem a perder, nada lhes acontece. E chegada a hora de dar um basta nisso, sobre pena de lá adiante chorarmos lagrimas de sangue e não ter jeito.

Nenhum comentário: